segunda-feira, 19 de outubro de 2009

As vantagens dos alimentos orgânicos


Nossa saúde é muito importante. Só percebemos isso quando ela nos falta. Ultimamente tenho estado atenta a importancia de consumir alimentos orgânicos. Minha cunhada Rosilene e sua família estão investindo nessa técnica em seu sítio e está muito empolgada. É bom ver pessoas interessadas em fazer algo que além de cuidar da saúde vai ajudar a preservar o meio ambiente.




Esta reportagem foi extraída da revista veja. Achei muito interssante.

Os alimentos orgânicos são produzidos sem o uso de pesticidas convencionais nem fertilizantes químicos. Devem ser livres de contaminação de dejetos humanos e do "lixo" industrial. Não podem ser produzidos com o uso de aditivos químicos para realçar cor, sabor, formato ou aroma. Usar radiação ionizante como forma de preservação também é proibido. No caso de animais vivos destinados ao abate, o uso de antibióticos, hormônios e anabolizantes é estritamente proibido. Em muitos países, o animal herbívoro deve ser alimentado exclusivamente com pasto, sem período de alimentação forçada para elevar o peso de abate no período de confinamento. Outros países estipulam que o uso de vegetais geneticamente modificados não pode ser empregado nos animais destinados ao abate.
Atualmente, os Estados Unidos, a União Européia, o Canadá e o Japão, entre outros países, exigem certificação por entidades autônomas de que o produto chamado de orgânico possa ser liberado para consumo e indicado como tal. Os alimentos orgânicos foram inicialmente produzidos em pequenas fazendas, preocupadas em evitar contaminação química dos vegetais ali produzidos. No entanto, o valor comercial do alimento orgânico superou em cerca de 20% o dos produtos convencionais, estimulando outros produtores a aderir a esse setor. Em 2008, a venda de alimentos orgânicos atingiu cerca de 2% do total destinado a consumo humano.
O impacto ambiental dos orgânicos
Geralmente os alimentos orgânicos são produzidos em pequenas propriedades, muitas vezes por uma única família, que se organiza para o plantio, cultivo, colheita e venda ao consumidor. Nessas circunstâncias as pequenas fazendas são muito menos poluentes que as grandes propriedades. Não são usados pesticidas e herbicidas químicos. Portanto, não há contaminação ambiental. Os ecossistemas são preservados, existe equilíbrio entre a parte agricultura e outras plantas e vegetais, insetos, bactérias, fungos e minhocas. A produção de alimentos orgânicos usa menos energia e, por isso, a perda de material nutritivo é menor. Também não há o problema do descarte das embalagens de produtos químicos.
O maior inconveniente é que o cultivo de produtos orgânicos tem uma produção cerca de 20% menor do que a agricultura tradicional. Dependendo do tipo do alimento, essa produção pode ser 50% menor do que a convencional. Mas é preciso considerar que o uso sistemático de herbicidas e pesticidas pode afetar a saúde dos trabalhadores na agricultura tradicional. Produtos químicos como inseticidas organo-fosforados são danosos à saúde, principalmente agindo "quebradores" de sistemas hormonais. Os resíduos de inseticidas podem permanecer nos alimentos e são particularmente danosos para a população infantil. Vale lembrar que, mesmo no caso dos orgânicos, alguns pesticidas também orgânicos podem ser utilizados, como os que são criados a partir de inimigos naturais de insetos (como fungos, por exemplo).
Vantagens nutricionais dessa escolha
O cuidadoso manejo agrícola dos alimentos orgânicos garante maior valor nutricional a esses alimentos. Em 2007, um gigantesco estudo realizado nos Estados Unidos concluiu que alimentos orgânicos contêm cerca de 40% a mais de antioxidantes do que os cultivados de forma tradicional. O valor nutricional das frutas, por exemplo, incluiu maior concentração de frutose (o que deixou as frutas mais doces), de vitamina C e de potássio - e, mais importante, ausência de contaminação de herbicidas e pesticidas.
Vários estudos vêm apontando para a presença de resíduos de produtos químicos usados em agricultura tradicional, em alimentos que fazem parte de nossa alimentação do dia-a-dia, tanto para adultos como para as crianças. Quando se comparam alimentos orgânicos com os tradicionais, confirma-se que nesses últimos existem resíduos de pesticidas potencialmente nocivos às crianças em desenvolvimento e crescimento. Esse grande obstáculo ao consumo de alimentos convencionais poderia ser contornado com o uso judicioso e cada vez menor de tais agentes químicos em agricultura. Os institutos de pesquisa do Brasil (como a Embrapa) e no mundo estão muito interessados em achar inimigos naturais de insetos predadores e controlar a destruição de colheitas por meio de métodos biológicos. Este é o futuro da agricultura racional, protetora do ambiente e do ecossistema.
O custo dos orgânicos é elevado
Como já foi demonstrado, um dos obstáculos ao uso generalizado de alimentos orgânicos é o seu alto custo. Dependendo do tipo de cultivo, do produto agrícola, do tamanho de área cultivada e da mão-de-obra necessária, o custo do orgânico pode ser de 10% a 40% mais caro que na agricultura tradicional. Tal custo torna proibitivo o consumo generalizado de alimentos orgânicos e apenas uma minoria da população pode ter acesso a este tipo de alimento. O que encarece ainda mais o alimento orgânico é a distribuição ao varejo - o custo fica mais elevado devido às pequenas quantidades oferecidas.
Vale lembrar ainda que existe a possibilidade de haver fraude, ou seja, o produtor indicar como orgânico o alimento que não foi produzido dentro de normas condizentes com o que chamamos de agricultura orgânica, isenta de produtos químicos. Por causa do preço mais elevado dos orgânicos, não faltam produtores "espertinhos" que tentam vender por preço mais alto o que produziram com herbicidas, pesticidas e outros produtos químicos. Tanto na União Européia como nos Estados Unidos, Canadá e Japão existem órgãos certificadores que garantem que o produto é realmente orgânico. No Brasil também existe um instituto que controla a produção e comercialização desse tipo de alimento. É só com essa certificação que temos certeza de que estamos consumindo um verdadeiro orgânico, com benefícios nutricionais tanto para adultos como para crianças.
Por Geraldo Medeiros 



2 comentários:

analu disse...

Heloise! Adorei o que postaste, realmente estamos nos enchendo de agrotóxico, sempre compro organico é um pouquinho mais caro, mais vale a pena. Uma boa tarde parati. Beijocas Ana Lucia

Cristi@ne Augusto - disse...

Muito legal este post amiga, tb estou atenta a isso...ontem mesmo commprei coisas no mercado somente de alimentos organicos e materiais reciclaveis, alem de mais baratos, ainda contribuimos para o ambiente...
OLha, tem selinho na minha sala de mimos pra vc, te espero lá viu? http://infinitodacris-selos.blogspot.com/2009/10/blog-arretado-da-gota.html -- bjsss

  ©Template designer adapted by Ana by anA.

Essa página é hospedada no Blogger. A sua não é?